Passar para o conteúdo principal
Sobre nós - Quem somos

Quem Somos

A CVA é uma pessoa colectiva de direito privado e utilidade pública, de carácter interprofissional, tendo por objecto garantir a genuinidade e a qualidade dos produtos vínicos com direito a DO do Algarve e IG do Algarve, a definição dos respectivos processos produtivos, a promoção e a defesa das referidas denominações.

Organigrama

A CVA mantém uma organização funcional, cujo organigrama apresentamos. Mantém um Manual de Funções, onde se descrevem todas as funções, níveis hierárquicos e de responsabilidades atribuídas a todos os recursos humanos envolvidos no processo de Certificação, desde a Direcção aos recursos operacionais relacionados.

Sobre nós - Quem somos - Organigrama
 

A CVA é entidade Acreditada pela Instituto Português de Acreditação (IPAC) para os seguintes produtos:

  • Vinho com Denominação de Origem "Lagoa"
  • Vinho com Denominação de Origem "Lagos"
  • Vinho com Denominação de Origem "Portimão"
  • Vinho com Denominação de Origem "Tavira"
  • Vinho com Indicação Geográfica "Algarve"
  • Vinho licoroso com Indicação Geográfica "Algarve"

Certificado de Acreditação da CVA

Comissão de Partes Interessadas

A CVA possui um mecanismo para salvaguardar a imparcialidade, que se traduz na Comissão de Partes Interessadas, cuja constituição e funcionamento estão previstos nos seus estatutos e regulamento. A função da Comissão de Partes Interessadas, que reúne anualmente, salvo convocatória extraordinária, consiste em fornecer recomendações sobre o seguinte:

  • As políticas e procedimentos relativas à imparcialidade das suas atividades de certificação;
  • Qualquer tendência por parte do organismo de certificação para permitir que aspetos comerciais ou de outra natureza impeçam o consistente fornecimento imparcial de atividades de certificação;
  • Matérias que afetem a imparcialidade e confiança na certificação, incluído a transparência.

À Comissão de Partes Interessadas compete ainda recomendar boas práticas do sector e da gestão da qualidade dos produtos certificados.
A CVA está organizada de modo a garantir a imparcialidade e independência da sua atuação. A gestão da imparcialidade passa pela identificação de riscos à imparcialidade, através de uma matriz criada para o efeito, que é monitorizada de forma contínua.
O comprometimento da gestão de topo com a imparcialidade está vincado na declaração assinada pelo Presidente da Direção, que se encontra afixada nas instalações da CVA. Os colaboradores da CVA assinam um documento no qual se comprometem a declarar relações profissionais, atuais ou anteriores, com clientes da CVA que possam comprometer a imparcialidade ou ser incompatíveis com as atividades de controlo e certificação.
Dentro da CVA foi estabelecida uma área independente para a certificação e controlo, conforme organigrama apresentado. Para tal, a Direcção nomeou uma Estrutura de Certificação e Controlo, cuja regulamentação se encontra definida nos “Estatutos do Estrutura de Certificação e Controlo”.
A ECC tem como missão a execução de acções de controlo e concessão, manutenção, anulação, redução, suspensão ou retirada da Certificação abrangida pela CVA.

Endereço de email da Comissão de Partes Interessadas:
comissaodepartesinteressadas@vinhosdoalgarve.pt

História da CVA

Em consequência da Globalização do Mercado Mundial e da necessidade de disciplinar e fomentar a produção de vinhos de qualidade, designados atualmente por DO e Regionais (IG), foram definidas e reconhecidas oficialmente as Regiões Demarcadas. A Região Demarcada do Algarve engloba quatro Regiões Vitivinícolas: Lagos, Portimão, Lagoa e Tavira, cujos estatutos foram aprovados pelo Decreto-Lei nº 299/90.
Assim, por cada Região Demarcada foram constituídas as Comissões Vitivinícolas Regionais, associações de carácter interprofissional, que têm como principais atribuições garantir a genuinidade e qualidade dos vinhos da região, apoiando ainda a sua promoção e produção.
Deste modo, a Comissão foi constituída por escritura pública em 1991, iniciando a sua atividade em 1994, num processo complexo onde as organizações e entidades recém-constituídas se viram confrontadas com um sector desprotegido e em fase de abandono. Para esta situação verificada nos anos 90, concorreram:

  • O grande desenvolvimento da Citricultura, com avultados apoios monetários ao investimento;
  • O Programa Comunitário de Arranque da Vinha, incorretamente implementado na região;
  • As dificuldades económico-financeiras por que passaram as Adegas Cooperativas do Algarve, que culminaram com o encerramento da Adega Cooperativa de Tavira (1992), da Adega Cooperativa de Portimão (1997) e mais recentemente a Adega Cooperativa de lagos (2010).

Com a entrada em funções de uma nova Direção em 1998, foram implementadas medidas, visando a melhoria e rejuvenescimento das estruturas vitivinícolas da região, através do apoio à elaboração e gestão de projetos (PAMAF/VITIS), que levou à renovação de cerca de 600 hectares de vinhas, em todo o Algarve, até ao ano de 2005, e ainda, um investimento total na ordem dos 4.680.000 euros. Foram ainda realizados investimentos complementares (sistemas de rega, equipamentos e modernização das Adegas) num montante global na ordem dos 7.000.000 euros.
Em relação à atividade de certificação, exercida até então apenas sobre os vinhos DOP/VQPRD, a CVA assume a partir da campanha de 2000/2001, também as funções de controlo e certificação dos vinhos com IG – Indicação Geográfica (Portaria n.º 364/2001) e ainda o reconhecimento da utilização da indicação geográfica Algarve no vinho licoroso produzido na mesma área.
Em consequência das ações implementadas, verificou-se um acréscimo da produção total de vinhos “declarados”, tendo-se ultrapassado o limiar de 3.000.000 de litros na campanha de 2006/2007. No que concerne ao volume de vinhos submetidos à "certificação” (DO e IG) têm anualmente apresentado uma subida significativa, traduzindo um aumento de cerca de 760.000 litros na campanha de 2002/2003 para 1.300.000 litros em 2006/2007, entrando 50% deste volume no mercado.
Mais recentemente (2010) e em virtude da necessidade de cumprir com as normas do setor, nomeadamente o Dec. Lei nº 212/2004, procedeu-se a uma reestruturação global da CVA, que passou por:

  • Alteração dos estatutos, com a substituição do representante do Estado no Conselho Geral, por um Presidente eleito pelos pares;
  • Formalização da acreditação da CVA pelo IPAC como “Organismo de Certificação” (NP EN ISO 17:065:2014);
  • Contratação dos recursos humanos necessários para a implementação do processo de certificação.

Este novo impulso, veio rejuvenescer a organização e o setor, tendo resultado num conjunto de grandes modificações técnicas e operacionais com criação de valor.
Os Agentes Económicos duplicaram nos últimos 6 anos fixando-se em 30 os produtores que certificam e comercializam “Vinho Regional Algarve”.
O volume total comercializado, ou seja, o volume de vinho que entra no mercado, aumentou significativamente, fixando-se em 1 milhão de garrafas anuais.
A qualidade dos vinhos produzidos na região, tem vindo a ser reconhecida por diversos agentes, desde os críticos especializados, escanções e jornalistas, culminando com a atribuição anual de inúmeras distinções em concursos nacionais e internacionais.
A produção e venda do Vinho Regional Algarve tem vindo a crescer, devido essencialmente aos novos produtores privados que se têm instalado na região, assim como às reestruturações operadas pelos produtores tradicionais. Quanto à comercialização do Vinho DO, mantêm-se a tendência de descida iniciada em 2003 e que se traduz numa redução muito significativa.
Considerando atingida a procurada sustentabilidade económica e financeira e estabilizadas as intervenções técnicas necessárias às prestações de serviços efetuadas, pretendemos no FUTURO, empreender novos projetos visando otimizar a promoção dos “Vinhos do Algarve” e incentivar à instalação de novos Agentes Económicos na região.
Os referidos projetos visam a instalação de um Laboratório de Enologia para apoiar a produção, a produção de publicações para a divulgação da região das adegas e quintas, assim como a organização de eventos de promoção.

Cresc Algarve 2020 - Projeto Siac - CVA
Portugal 2020 - Projeto Siac - CVA
Unio Europeia 2020 - Projeto Siac - CVA
Início